Não deixe envelhecer o seu cérebro!

Edição de 13 de Dezembro. Páginas 20 e 21.
Comentando investigações do Instituto de Neurociências e Fisiologia da Suécia e da Universidade de Ilinóis (Estados Unidos).
O exercício físico tem o poder de reduzir o impacto do envelhecimento sobre as funções do cérebro, garante um estudo do Instituto de Neurociências e Fisiologia da Suécia. O exercício ajuda a manter as habilidades cognitiva ao longo dos anos, mesmo nos idosos, e ainda ajudar na prevenção de doenças como Alzheimer e Parkinson. "O desporto tem uma repercussão imediata na actividade do cérebro e ajuda a protegê-lo a longo prazo", sustenta Nelson Lima, neuropsicólogo e presidente do Instituto da Inteligência ao DIÁRIO DE NOTÍCIAS.
Também um estudo recente da Universidade de Ilinóis, nos Estados Unidos, que avaliou homens e mulheres com mais de 65 anos, concluiu que aqueles que faziam exercício entre 15 e 30 minutos, pelo menos três vezes por semana, reduziam os riscos de sofrer de doenças do sistema nervoso central. As razões são mais uma vez a boa circulação sanguínea e a oxigenação do cérebro.
"As pessoas que fazem um grande exercício mental e físico estão a prevenir a senilidade e a garantir a longevidade do cérebro", confirma Nelson Lima.
Por outro lado, o sedentarismo, rotina e má nutrição são os piores inimigos do cérebro. "As pessoas não se podem render à acomodação, nem física nem mental, em qualquer altura da vida."
Ler mais em (ver edição electrónica do jornal):
http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1446218&seccao=Sa%FAde
e também: http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1446296&seccao=Sa%FAde.