Cognição, Memória e Envelhecimento

VI Encontro da ACAIS.
Envelhecimento: uma abordagem psicológica.
S. João da Madeira (Portugal)

Síntese da intervenção do doutor Nelson S Lima:

"Com o avançar da idade, o organismo desgasta-se. A esse processo chamamos envelhecimento. O envelhecimento, porém, não é um fenómeno uniforme e regular. Não é uniforme porque o corpo não envelhece todo ele ao mesmo ritmo. E não é regular porque cada órgão e cada sistema - nervoso, imunitário, digestivo, respiratório, etc. - envelhece de forma muito própria. Podemos ter o coração em excelente forma e a pele envelhecida. Podemos ouvir menos mas ter um raciocínio jovem. Podemos ter uma excelente memória para algumas coisas e ter dificuldade noutras. Não é um jogo do acaso mas o resultado da forma como governamos a nossa vida.

Podemos dividir a idade em diferentes categorias: idade cronológica (dependente do calendário), idade biológica (dependente do estado do corpo), idade social e idade psicológica (a idade mental). Os genes conduzem-nos para a velhice mas 80% da qualidade e do ritmo do envelhecimento tem mais a ver como cuidamos da nossa saúde ao longo da vida. Ficaremos menos ágeis do raciocínio se não nos preocuparmos com a alimentação, a higiene e o exercício físico e mental. Sentados num sofá morreremos de doença 10 a 15 anos antes do prazo de tempo que poderíamos viver saudavelmente. Tudo se resume a escolhas e comportamentos.


Por isso, os pensamentos têm um enorme poder sobre a saúde do organismo e muito em especial a do cérebro pois ele está ligado a todo o corpo - e sobretudo ao sistema imunitário - através de muitos milhões de células do sistema nervoso. Assim, uma mente aberta, positiva, esperançosa e activa espalha energia por todo o corpo e beneficia o próprio cérebro.


O envelhecimento deixa então de ser uma fatalidade para se tornar num tempo de novas vivências e novos desafios. Isso vai também reduzir ou eliminar os sentimentos de solidão, depressão e angústia tantas vezes associados ao envelhecimento. E porque as emoções não envelhecem podemos então descobrir novas alegrias e motivos para viver mais e melhor".